Depoimentos

Prezada equipe do Canarinho

Sexta-feira, hora de ir para casa após uma semana de trabalho, encontro esta mensagem perguntando sobre a intenção de renovar matrícula para o ano que vem.

Com um aperto no coração, lembro que o tempo passou e que não há mais como renovar a matrícula do Gui.

Se, por um instante, me vem certa melancolia, não posso deixar de me alegrar com a razão da despedida que se anuncia. É o fim de uma etapa: o Guilherme cresceu física, mental e emocionalmente prepara-se, pois, para encarar a transição para a adolescência. E deixar o Canarinho faz parte desse momento.

Faço um balanço e confirmo minha alegria por ele ter vivido esse anos no Canarinho. Vi, ao longo de sua infância, meu filho aprender, brincar(muito!), e ser feliz nessa Escola.

Confirmação da experiência familiar anterior: estamos no Canarinho desde 1998, quando João Pedro, meu filho mais velho, foi aí matriculado aos três aninhos. Como o Gui, ele também ficou até não ter mais como. Também ele brincou e aprendeu muito nessa Escola.

Para meus meninos, fica uma boa base escolar, uma boa base humana e, não menos importante, muitas e boas lembranças nesses primeiros anos de vida.

Para mim e para o João (falo em seu nome, sem seu conhecimento, mas certa de sua anuência), fica o saldo positivo de dez anos de convívio com essa Equipe. Pudemos, aos poucos, deixar de lado as apreensões de marinheiros de primeira viagem (preocupados com detalhes nem sempre essenciais), e passar a valorizar o essencial: nossos filhos aprenderam, se tornaram pessoas melhores e foram felizes enquanto aí estiveram.

Por isso, ao dizer que não renovaremos a matrícula, aproveito também para agradecer o tempo precioso que nos foi dedicado pela Equipe dessa Escola. De minha parte, vou lembrar desses anos como um tempo bom. De alguns dessa Equipe, especialmente, vou sentir saudade pelo carinho que sempre demostraram.

Obrigada a todos com os votos de que essa Escola continue a trazer brilho aos olhos das crianças que dela fizerem parte.

A você, Solange, um abraço de uma mãe grata pela sua dedicação e condução segura na escolha dos valores a serem repassados às crianças.

Simone Fleury/2008